PENSAMENTOS CODIFICADOS

Coordenado por Profa. Dra. Silvia Laurentiz

Integrantes: Silvia Laurentiz, Bruna Mayer, Loren Bergantini, Sérgio Venâncio.

 Esta linha de pesquisa trata dos pensamentos condicionados a códigos, conjunto de códigos, normas, algoritmos, padrões, bem como as imagens técnicas, dispositivos, interfaces, uma vez que estes são resultados de conceitos, textos e teorias científicas, e, portanto, formas atualizadas de conhecimento elaborado, com capacidade de mudar hábitos e comportamentos (LAURENTIZ, 2015, 2017). Esta condição já aproxima esse pensamento condicionado à definição de signo, entretanto, trata-se de signo especial, com abstração de terceiro grau (FLUSSER, 2011). Nesta perspectiva, estão também incluídos os processos de criação e percepção de modelos. A questão principal é entender como este tipo especial de signo codifica o pensamento. A proposta ainda objetiva relacionar como estes princípios retroalimentam os sistemas sensorial e cognitivo que, evolutivamente e por circularidade, geram sistemas cada vez mais complexos de interpretações e propiciam novas experiências perceptivas na arte. Dessa forma, Pensamentos Codificados estuda os modos de pensamento e processos relacionados a códigos e algoritmos, abarcando modelos neurocientíficos, linguagens de programação, Inteligência Artificial, Visão Computacional, Machine Learning, entre outros. Também explora sistemas interativos, instalações, programas, considerando os dados e códigos enquanto materiais plásticos.

Referências:

  • CARVALHAIS, Miguel. Artificial Aesthetics: Creative Practices in Computational Art and Design. Porto: U. Porto Edições, 2016.
  • FLUSSER, Vilém (2011). Filosofia da caixa preta. São Paulo: Annablume.
  • FLUSSER, Vilém (2007). O mundo codificado. São Paulo: Cosac Naify.
  • LAURENTIZ, Silvia (2017). Pensamento Conformado: dimensões sensíveis e abrangências, 16º Encontro Internacional de Arte e Tecnologia: #16.ART: Artis intelligentia: IMAGINAR O REAL – Livro de ATAS, i2ADS – Instituto de Investigação em Arte, Design e Sociedade – Portugal, p. 1072-1079.
  • LAURENTIZ, S. R. F (2015). Sensoriality and Conformed Thought. In: Antona, Margherita, Stephanidis, Constantine. (Org.). Universal Access in Human-Computer Interaction. Access to Interaction 9th International Conference, UAHCI 2015, Held as Part of HCI International 2015, Los Angeles, CA, USA, August 2-7, 2015, Proceedings, Part II. 1 ed. New York: Springer International Publishing, v. 9176, p. 217-225.

Metas da Linha:

  1. Criação de obras artísticas, de autoria individual ou em grupo, inseridas no debate do grupo de estudos e no desenvolvimento da linha de pesquisa;
  2. Leitura, fichamento de textos e publicação de resenhas;
  3. Produzir artigo(s), escritos individualmente ou coletivamente e vídeos-resumo sobre temas relevantes da linha de pesquisa;