AVISO IMPORTANTE

O curso de especialização intitulado eCultura: culturas e humanidades computacionais terá sua data alterada em decorrência de novas discussões e processos de parceria em andamento que o tornarão ainda melhor. Em virtude do novo cenário, adiamos o início do curso para o segundo semestre de 2019.

Coordenação do curso


Segmento: Curso de Especialização (Pós-graduação lato sensu)

Título: eCultura: culturas e humanidades computacionais

Grande Área: Humanidades

Forma: Presencial (aulas todas as terças-feiras, das 19h30 até 22h30)

Carga Horária total: 480 horas

Período de realização: de 31/07/18 até 31/07/20. Início das aulas em agosto de 2018.

Total de vagas: 35 alunos, sendo 30 inscrições pagas e 5 inscrições isentas (2 alunos de pós-graduação da USP, 3 para qualquer pessoa)

Valor do curso: R$ 970,00 em 20 vezes, total de R$ 19.400,00 por aluno ao total do curso. Primeiro pagamento somente no início do curso.

Público Alvo: Portadores de título de graduação de qualquer das áreas das ciências humanas, exatas ou biológicas: informação, cultura, comunicação, artes, música, teatro, cinema, literatura, engenharia, arquitetura, computação, jornalismo, psicologia, medicina, etc.

Objetivo: criar as condições para a formação de docentes, pesquisadores e profissionais capazes de entender as novas linguagens das culturas computacionais e delas se servir tendo em vista valores que se possam descrever como próprios à sociedade humana. E permitir aos interessados a compreensão dos novos cenários propostos por uma tríade computacional (embora não apenas por ela) formada ao redor da inteligência artificial, da realidade virtual e da realidade expandida, maneira resumida de apresentar os vários desafios propostos pelas culturas computacionais emergentes e ao mesmo tempo capaz de dar ideia da magnitude das questões envolvidas. Aos inscritos no programa serão oferecidas disciplinas destinadas tanto a capacitá-los para o entendimento e utilização da linguagem computacional quanto possibilitar-lhes a compreensão crítica do que está em jogo no cenário das novas culturas.

Justificativa: os novos desdobramentos das tecnologias da informação mudarão rapidamente a vida humana em todos seus aspectos. Não há motivo para elencar aqui, tão evidentes se mostram neste momento, as transformações previsíveis; muitas delas de fato já se implantaram e estão em pleno desdobramento nos vários campos de produção econômica, das relações humanas e da cultura em geral. Como exemplo, uma parte crítica de nossas vidas e trabalho deslocou-se do mundo físico, “duro”, para o domínio do “ciberspaço”. Não bastasse isso, tudo indica que o ser humano será gradativamente substituído pelas máquinas baseadas na computação em inúmeros campos de atividade, inclusive naquelas até agora considerados territórios a ele reservados como o jornalismo, a medicina, a docência, a arte e a crítica da arte. Preparar a sociedade humana para esse futuro, um já-agora, é a tarefa que deve ser realizada pela universidade.
A expressão eCulture aponta para uma cultura de base eletrônica, computacionalmente intensa, baseada em novos recursos técnicos aos quais se recorre cada vez mais e de modo sempre mais intenso. O termo é aqui usado na perspectiva da expressão “eScience” proposta em 1999 por John Taylor, então diretor do Office of Science and Technology do Reino Unido. O rótulo eCulture indica de modo suficientemente claro que o objeto de estudo é a cultura produzida e usufruída com base nos recursos eletrônicos e é adotado com o mesmo espírito do termo eScience já assumido por diferentes institutos de pesquisa e agências de fomento.
Por outro lado, este programa será orientado pela necessidade de adotar novos formatos de ministração do conhecimento, pesquisa e realização dos trabalhos. Tanto quanto possível, o docente único, tradicionalmente responsável por uma disciplina, será substituída por um colegiado de docentes e profissionais capazes de colaborar com o programa por meio de palestras, seminários e diálogos definidos pelo modo colaborativo e interdisciplinar, em rede internacional.

Disciplinas: 
Elementos da representação computacional
Ementa: Fornece os recursos para a compreensão e operação das linguagens computacionais de modo a capacitar o aluno para o diálogo com especialistas em programação e a consequente consecução dos objetivos que possa ter; parte relevante do programa será dedicada a abordagens das lógicas contemporâneas requeridas pelos novos modos de representação. A disciplina fará amplo uso de dispositivos eletrônicos e buscará desenvolver com os alunos um objeto digital concreto.

Temas de culturas computacionais 
Ementa: Disciplina voltada para a discussão crítica das questões trazidas pelos novos desdobramentos do recurso à computação, com particular ênfase para o exame dos valores em jogo. Serão temas de reflexão, exemplificadamente, os direitos computacionais, por analogia aos direitos culturais; as redes sociais e seus efeitos; o eJornalismo; as bibliotecas pós-Gutemberg; o relacionamento humano na era da computação exacerbada; a eEconomia, o desemprego e a nova des(ordem) social resultantes do uso intenso das novas tecnologias.

História crítica das linguagens computacionais 

Ementa: Estudo diacrônico dos mecanismos de computação, suas propostas, as mudanças trazidas na organização da sociedade e seu significado científico, tecnológico e no campo das Humanidades em particular. Ênfase especial será dada ao emprego dessas tecnologias na arte.

Cultura e condição humana 

Ementa: Disciplina dedicada à reflexão sobre o conceito de cultura na contemporaneidade, em particular na perspectiva dos efeitos das novas tecnologias da informação; sobre os modos de manifestação da cultura e seus pontos de contato com e de distanciamento em relação à arte; e os reflexos desse novo contexto sobre os conceitos de ser humano (natureza e condição humana) e natureza.

Professores do curso:
Prof. Dr. José Teixeira Coelho Netto – ECA/USP
Prof. Dra. Lucia Maciel Barbosa de Oliveira – ECA/USP
Prof. Dr. Martin Grossmann – ECA/USP
Prof. Dr. Marcos Fernandez Cuzziol – Itaú Cultural
Prof. Dr. Marcus Vinicius Fainer Bastos – PUC/SP
Prof. Dr. Farès el-Dahdah – Rice University, Houston, EUA
Prof. Dr. Manoel Roberto Robilotta –  Instituto de Física da USP
Prof. Dra. Teresa Cristina Toledo de Paula – Museóloga do Museu Paulista – USP

Local de realização: Departamento de Informação e Cultura (CBD), Escola de Comunicações e Artes (ECA), Prédio Central 2º andar. Av. Professor Lúcio Martins Rodrigues, 443 – Cidade Universitária.

Critérios para Seleção:
– Diploma de Graduação em qualquer área do conhecimento;
– Apresentação de currículo com informações acadêmicas e profissionais;
– Conhecimento do idioma inglês;
– Conhecimento e uso de computador para desenvolvimento das atividades e projetos realizados nas disciplinas.
* Os documentos solicitados acima (diploma e currículo) devem ser enviados para o e-mail lacip@usp.br
A simples inscrição no curso não caracteriza matrícula do aluno. Será feito um processo seletivo dos participantes pelos professores responsáveis do curso.

Procedimento de Inscrição:
Preencher a ficha de inscrição no site do Sistema Apolo USP. Após a inscrição você receberá um e-mail do Lacip com informações sobre o processo seletivo.

Solicitação de isenção:
Ficarão isentos das taxas previstas neste curso os que comprovarem a necessidade da medida, no momento da inscrição, mediante carta adequada, currículo com formação acadêmica e indicação das atividades profissionais. Todos os documentos devem ser enviados para o e-mail lacip@usp.br, com o título da mensagem: SOLICITAÇÃO DE ISENÇÃO.
O processo seletivo dos alunos isentos será feito pelos professores responsáveis do curso. A simples inscrição do aluno não garante a matrícula no curso.

Critério de aprovação nas aulas:
– Nota mínima 07 em cada uma das disciplinas e atividades, a frequência mínima exigida é de 85% em cada uma das disciplinas e atividades.
– Elaboração de papers e atividades à distância solicitadas nas disciplinas do curso.
– Elaboração de monografia ou de objeto de natureza eletrônica, neste caso acompanhado de um memorial expositivo de métodos, objetivos etc. Na monografia a nota deverá ser igual ou superior a 07, avaliada por banca examinadora, para aprovação final.