Livro do CPCT é Lançado no Mercado Espanhol

O l13043699_1172109632829675_3600621470268542344_nWP_20160417_001ivro “As mudanças no Mundo do Trabalho dos Jornalistas”, organizado pelo CPCT e lançado em 2013  pela Editora Salta/Atlas, foi traduzido para o espanhol em 2015 e lançado pela Editora UOC, da Universidade Autônoma de Barcelona.

Na foto, os autores: Roseli Figaro (organizadora), Rafael Grohmann e Cláudia Nonato.

CPCT Discute Novas Fronteiras do Jornalismo no 13o SBPJor

O 13o Encontro Nacional de Pesquisadores de Jornalismo, promovido pela Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo (SBPJor) aconteceu entre os dias 04 e 06 de novembro na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), com a participação de pesquisadores do CPCT. A coordenadora Roseli Figaro participou da mesa de debates intitulada “Novas Fronteiras do Jornalismo”, ao lado dos professores Jacques Mick (UFSC) e Daniela Ota (UFMS), com mediação de Monica Martinez (UNISO). Também apresentou, em coautoria com a pesquisadora Cláudia Nonato, o trabalho Novos ‘arranjos econômicos’ alternativos para a produção jornalística,  na mesa coordenada “A precarização e o trabalho dos jornalistas brasileiros”. Na mesma coordenada, o pesquisador Rafael Grohmann apresentou o artigo Dimensões teóricas do trabalho jornalístico em cenário de tensionamentos  identitários e flexibilização: um esboço a partir dos processos comunicacionais e produtivos. Foram dias produtivos e de muita troca entre pesquisadores do jornalismo.

Roseli Figaro (com microfone), durante a participação da mesa de debates do congresso

Roseli Figaro (com microfone), durante a participação da mesa de debates do congresso

Claudia Nonato

Claudia Nonato

Rafael Grohmann

Rafael Grohmann

Encerramento do curso de Difusão em Comunicação e Trabalho

WP_20151024_001 WP_20151024_003 WP_20151024_005 WP_20151024_008 WP_20151024_009Última aula do curso “Comunicação no trabalho: racionalidades, tecnicidades e contradições”, realizado pelo Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho (CPCT) na ECA/USP, nos dias 03, 17 e 24 de outubro. No encerramento, os pesquisadores do CPCT, Sergio Picciareli Jr., Luciana Félix, Olivia Bulla, Cláudia Nonato, Fernando Pachi Filho e Alexandre Suenaga, apresentaram seus trabalhos e, em clima de despedida, os alunos fizeram reflexões sobre o aproveitamento das três semanas de curso. Foram dias de muitas trocas e entrosamento que deixarão saudades.

Binômio Comunicação e Trabalho é destaque da primeira aula do curso

WP_20151003_001A sala de aula ficou lotada no primeiro dia do curso “A comunicação no mundo do trabalho: racionalidades, tecnicidades e contradições”, promovido pelo CPCT, na ECA/USP.  Logo no início, a coordenadora do CPCT, Roseli Figaro, apresentou a fundamentação teórico-metodológica do binômio comunicação e trabalho; na parte da tarde, Rafael Grohmann discutiu os conceitos de trabalho, tecnologias e classes sociais. Os alunos, vindos dos mais diversos lugares de São Paulo e também de outros Estados, mostraram-se atentos e participativos.

A próxima aula será no dia 17 de outubro, com Claudia Rebechi e Janaína Visibeli.

WP_20151003_006

WP_20151003_002

CPCT forma mais uma mestre

12017526_1076166729074106_4683908194043154160_o WP_20150929_001

 

 

 

 

 

 

 

A pesquisadora Olivia Bulla é a mais nova mestre do CPCT. A defesa aconteceu no dia 28 de setembro na Sala da Congregação da ECA/USP, com a participação dos professores Dennis de Oliveira (ECA-USP) e Maria Cecília Perez Souza-e-Silva (PUC-SP) na banca, além de familiares e amigos. O nome da dissertação da Olivia é “A evidência dos números no discurso jornalístico através das relações de comunicação e trabalho”, e a orientação foi de Roseli Figaro. Parabéns!

Curso de Difusão em Comunicação e Trabalho 2015

A comunicação no mundo do trabalho: racionalidades, tecnicidades e contradições

Curso de difusão para profissionais e estudantes de ensino superior interessados em compreender a comunicação no trabalho e a comunicação como trabalho.

Dias: 03, 17, 24 e 31* de outubro de 2015.

Horário: das 9h às 17h

* Apenas período da manhã (9h às 13h)

Local: CCA-ECA-USP (Av. Prof. Lúcio Martins Rodrigues, 443, 2. Andar, Cidade Universitária – SP/SP)

Coordenação: Roseli Figaro – professora livre-docente do Departamento de Comunicações e Artes da ECA-USP e coordenadora do CPCT.

Realização: Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho (CPCT) da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP).

Departamento de Comunicações e Artes (CCA) da ECA-USP.

Curso gratuito

Carga horária: 28 horas – Quatro módulos de ensino

Nº de Vagas Oferecidas:  80 /Mínimo de Participantes: 20.

Informações: (011) 3091-4081; contato: Secretaria (Malu).

Inscrições: período de 14/09/2015 a  30/09/2015; pelo email: comunicacaoetrabalho@gmail.com

No ato de inscrição, deve-se declarar: nome completo, CPF, RG, escolaridade, profissão; anexar cópia de ambos os documentos e responder à questão: por que quero fazer este curso?

Critérios para Seleção: As vagas serão preenchidas mediante a ordem de inscrição ou análise de currículo, caso o número de inscrições ultrapasse o número de vagas disponíveis.
Critérios de Aprovação Diante do cumprimento da exigência de frequência mínima de 85% nas atividades propostas ao longo das 04 semanas, o aluno será considerado APROVADO, e receberá o certificado de conclusão do curso.

Sobre o curso

Introdução

Comunicação é uma palavra-chave no mundo do trabalho. A partir dos anos de 1980, devido à introdução das inovações tecnológicas de informação, da telemática e da reorganização dos processos produtivos, sua presença tornou-se ainda mais marcante. A reestruturação do mundo do trabalho fundamenta-se na comunicação, persuasão/cooptação por meio do aparato ideológico-discursivo em que se baseiam os pilares da polivalência, flexibilidade, qualidade e inovação da produção. As expressões: qualidade, criatividade, imaterialidade são mobilizadas como palavras mágicas que almejam o status de categoria teórica explicativa desse nosso tempo.

Dessa forma, as inovações encetadas pelos processos comunicacionais entraram na dinâmica da reprodução necessária ao capital. Elas estão conformadas pelos tempos e espaços das lógicas do processo de trabalho: da produção, circulação e recepção de bens e serviços.  As redes telemáticas, as linhas de montagem e as redes sociais têm em comum todas as contradições do globalismo expansionista do capitalismo.

Para estudar os aspectos destacados, propomos a configuração de uma linha de pesquisa orientada pela inter-relação de comunicação e trabalho. Essa abordagem conceitua as relações de comunicação no mundo do trabalho e problematiza as convergências, as divergências e os conflitos no mundo do trabalho.

Objetivos:

  1. Apresentar e discutir a fundamentação teórico-metodológica do binômio comunicação e trabalho desde a perspectiva marxiana em aproximação à abordagem da ergologia;
  2. Discutir as relações do binômio comunicação e trabalho com outras áreas de conhecimento como a sociologia do trabalho, os estudos da linguagem, os estudos de recepção e a educação;
  3. Discutir o conceito de classes sociais e seus usos nos estudos da comunicação bem como sua apropriação pelo binômio comunicação e trabalho;
  4. Analisar as similaridades e contradições entre os princípios e os métodos de racionalização do trabalho (taylorismo/fordismo; toyotismo) e as prescrições da comunicação nas organizações;
  5. Problematizar e discutir a comunicação no mundo do trabalho, na perspectiva de quem trabalha;
  6. Apresentar e discutir casos e pesquisas sobre comunicação no mundo do trabalho;
  7. Apresentar e discutir o mundo do trabalho dos comunicadores, as relações de trabalho no contexto das novas mídias e seus desafios em busca de liberdade de expressão.

 Conteúdo programático:

  • Conceito de comunicação;
  • Conceito de trabalho;
  • Binômio Comunicação e trabalho;
  • Os estudos do campo da Comunicação e o conceito de classes sociais nas pesquisas de comunicação e trabalho;
  • Os princípios e métodos da racionalização do trabalho e as prescrições de comunicação nas organizações;
  • As diferenças entre a comunicação das organizações e a comunicação no mundo do trabalho;
  • Os laços de sociabilidade evidenciados nas relações de comunicação e trabalho;
  • O mundo do trabalho dos comunicadores: jornalistas, gráficos, editores;
  • Os comunicadores em busca de novos horizontes de trabalho e liberdade de expressão.
  • Aspectos metodológicos da pesquisa em comunicação e trabalho.
  • O mundo do trabalho no discurso de jovens estudantes do ensino médio.

Módulos de ensino:

1.Módulo 03/10 Introdução à abordagem do binômio comunicação e trabalho Responsável
Manhã Apresentação do curso, dos participantes, panorama das pesquisas coletivas e individuais do CPCT. Roseli Figaro
Intervalo (15min)
Manhã Conceitos introdutórios sobre comunicação e sobre trabalho. Roseli Figaro
Almoço (1h30min)
Tarde Abordagens interdisciplinares para pensar a comunicação no mundo do trabalho e o binômio comunicação e trabalho; propostas metodológicas para o desenvolvimento de pesquisas no tema. Roseli Figaro
Tarde Comunicação, trabalho e classes sociais Rafael Grohmann
2.Módulo 17/10 As diferenças entre a comunicação das organizações e a comunicação no mundo do trabalho. Responsável
Manhã Racionalização do trabalho e prescrições de comunicação Claudia Rebechi
Almoço (1h30min)
Tarde Análise crítica da comunicação no embate entre as organizações e seus públicos Janaína Visibeli
Tarde Comunicação no mundo do trabalho na perspectiva de quem trabalha Julio Arantes
3. Módulo 24/10 Pesquisas de comunicação no mundo do trabalho Responsável
Manhã As relações de comunicação no processo de produção Sérgio Picciarelli
Manhã O mundo do trabalho do editor de livros Luciana Félix
Manhã A evidência dos números no discurso jornalístico através das relações de comunicação e trabalho Olivia Bulla
Almoço (1h30min)
Tarde Limites e possibilidades da liberdade de expressão no mundo do trabalho Fernando Pachi Filho
Tarde Os jornalistas em busca de alternativas de trabalho e liberdade de expressão. Claudia Nonato
Tarde Metodologia de estudo do binômio Comunicação e Trabalho: um estudo de recepção com os jovens de escola pública Alexandre Suenaga
4. Módulo 31/10 (Manhã) Oficina de propostas de estudos sobre comunicação e trabalho Responsável CPCT


Metodologia
 

  • Aulas expositivas e debate de conteúdos temáticos;
  • Apresentação e discussão de pesquisas na perspectiva conceitual da atividade de comunicação e trabalho;
  • Oficina de propostas de estudos sobre comunicação e trabalho.

Ministrantes:

Alexandre Suenaga  (http://lattes.cnpq.br/3284975029707487)

Mestrando do curso de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade de São Paulo (USP) e pesquisador do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho (CPCT). Possui graduação em Comunicação Social: Habilitação em Relações Públicas pela Escola de Comunicações e Artes da USP. Desenvolve atualmente pesquisa sobre os discursos dos jovens sobre o mundo do trabalho na escola pública.

Claudia Nociolini Rebechi (http://lattes.cnpq.br/2706095230666349)

Docente do Departamento de Comunicação da Universidade Estadual de Londrina (UEL). Doutora e mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). Realizou estágio de pesquisa doutoral (doutorado sanduíche) no Centre des Recherhes Sociologiques et Politiques de Paris (CRESPPA-CNRS), na França, de julho de 2012 a agosto de 2013. Graduada em Comunicação Social – habilitação em Relações Públicas – pela UNESP e especialista pelo Curso de Pós-Graduação Lato Sensu de Gestão Estratégica em Comunicação Organizacional e Relações Públicas (Gestcorp), do Departamento de Relações Públicas, Propaganda e Turismo da Escola de Comunicações e Artes da USP. É pesquisadora do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho da ECA-USP e tem experiência na área de Comunicação, focalizando especialmente nos seguintes temas: Comunicação e Trabalho; Comunicação em Organizações; Relações Públicas; Prescrições de Comunicação; Racionalização do Trabalho; Organização e Gestão do Trabalho.

Cláudia Nonato (http://lattes.cnpq.br/4975622041237653)

Doutora em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e Editora Executiva da revista Comunicação & Educação, na mesma instituição. Docente dos cursos de graduação em Jornalismo do FIAM-FAAM Centro Universitário. Pesquisadora do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho (CPCT-ECA/USP). Graduada em Comunicação Social (Habilitação Jornalismo) pela Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero (1990), especialista em Gestão da Comunicação (1999) e Mestre em Ciências da Comunicação (2010) pela Universidade de São Paulo. Possui experiência como repórter da área de cultura e em assessoria de comunicação. Áreas de interesse: jornalismo, mundo do trabalho dos jornalistas, jornalistas blogueiros, mídia alternativa, comunicação comunitária, censura, liberdade de expressão.

Janaina Visibeli Barros ( http://lattes.cnpq.br/5558900618768439 )

Doutoranda e Mestre em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicação e Artes da USP; especialista em Imagens e Culturas Midiáticas pela UFMG; especialista em Meio Ambiente pela Universidade do Estado de Minas Gerais – UEMG; graduada em Relações Públicas pelo Unicentro Newton Paiva. É professora da Universidade do Estado de Minas Gerais na unidade de Divinópolis há dez anos, atuando nas áreas de gestão da comunicação, empreendedorismo em comunicação, mundo do trabalho, mercadologia e estudos do consumo, para os cursos de Comunicação Social (Publicidade & Propaganda e Jornalismo). Atualmente também é coordenadora dos cursos de graduação em Comunicação Social da unidade. Tem experiência profissional como Relações Públicas, Produtora Cultural e Gestão e Planejamento da Comunicação para o terceiro setor. É integrante do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho (CPCT-ECA/USP) e do Grupo de Pesquisa de Estudos das Poéticas do Cotidiano (EPICO/UEMG).

Júlio Arantes (http://lattes.cnpq.br/3909030475306836)

Doutor em Ciências da Comunicação e pesquisador do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho (CPCT – CNPq), pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP). Desenvolve pesquisa sobre comunicação em experiências produtivas autogestionadas, com ênfase em teoria e pesquisa em comunicação, linguagem, trabalho e análise do discurso. Mestre em Linguística, com ênfase em Análise de Discurso, pelo Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística da Universidade Federal de Alagoas. Participou como pesquisador do Grupo de Estudos do Discurso e Ontologia (PPGLL/CEDU-UFAL) e do Grupo de Comunicação Multimídia (Comulti – CNPq), onde integrou o Grupo de Crítica à Economia Política da Comunicação (Cepcom). Especialista em Processos Midiáticos e Novas Formas de Sociabilidade pela Universidade Federal de Alagoas (2008), atuando também como jornalista na TV Educativa de Alagoas, nas áreas de produção, direção, edição e produção executiva em telejornal e, especialmente, em produção de programas de cultura.

Luciana Félix  (http://lattes.cnpq.br/228144907548958)

Mestre em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP) e integrante do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho – CPCT, na mesma instituição. Especialista em Gestão de Processos Comunicacionais pela ECA/USP (2006). Graduada em Comunicação Social – Jornalismo pela Universidade Bandeirante de São Paulo (2002). Editora, com 14 anos de experiência na área de comunicação, sendo dez deles com ênfase edição de livros.

Olívia Bulla (http://lattes.cnpq.br/1338173470554964)

Mestranda em Ciências da Comunicação na Universidade de São Paulo (USP) desde 2013, na área de Teoria e Pesquisa em Comunicação, sob a orientação da Profa. Dra Roseli Fígaro. É pesquisadora do Centro de Pesquisa de Comunicação e Trabalho (CPCT) e estuda o tema do trabalho jornalístico e os números como argumento de construção da objetividade. Possui especialização em Jornalismo Econômico pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2006) e graduação em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (2004). Tem experiência profissional na cobertura de notícias, em tempo real, sobre macroeconomia e mercado financeiro nacional e internacional. É fluente em inglês, espanhol e possui conhecimento avançado em mandarim.

Rafael Grohmann (http://lattes.cnpq.br/2230678527273233)

Doutorando e Mestre em Ciências da Comunicação da Universidade de São Paulo (USP). Professor dos cursos de jornalismo no FIAM-FAAM Centro Universitário e na Faculdade Cásper Líbero. Coordenador do Grupo de Pesquisa “Jornalismo, Mercado de Trabalho e Novas Linguagens” (FIAM-FAAM) e integrante do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho (CPCT – ECA/USP) e do Grupo de Pesquisa “Teorias e Processos da Comunicação” (Cásper Líbero). Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Juiz de Fora – UFJF (2009). Têm experiência na área de Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: estudos de recepção, teorias da comunicação, análise do discurso, comunicação e trabalho, trabalho dos jornalistas. Editor responsável pela Revista Parágrafo: revista científica de Comunicação Social da FIAM-FAAM.

Roseli Figaro (http://lattes.cnpq.br/8523048386991279)

Professora Livre-docente do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade de São Paulo. Possui pós-doutorado pela Universidade de Provence, França (2007), doutorado(1999) e mestrado (1993) em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo; e graduação em Jornalismo pela Faculdade de Comunicação Social Casper Líbero (1981). É coordenadora do Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho; pesquisadora do Núcleo de Pesquisa da USP Comunicação e Censura e do Grupo de Pesquisa do Arquivo Miroel Silveira. Chefe do Departamento de Comunicações e Artes da ECA-USP, e diretora editorial, com o Dr. Adílson Citelli, da Revista Comunicação & Educação. Tem experiência na área de Comunicação, com ênfase em Linguagem Verbal e Teorias da Comunicação, atuando principalmente nos seguintes temas: comunicação e mundo do trabalho, gestão da comunicação e comunicação/educação. Desenvolve pesquisa sobre a comunicação no mundo do trabalho; comunicação e censura no mundo do trabalho; comunicação, sociabilidade e censura à cultura popular.

Sérgio Picciarelli (http://lattes.cnpq.br/6869273258055314)

Possui graduação em Comunicação pela FAAP, Especialização em Gestão de Processos Comunicacionais e Mestrado em Ciências da Comunicação pela USP. Atualmente é pesquisador do Centro de Pesquisa Comunicação e Trabalho da Universidade de São Paulo e gerente na Área de Desenvolvimento de Novos Produtos – Editora Abril, onde atua há 24 anos. Tem experiência na área comercial, editorial, publicitária e gráfica, com ênfase no desenvolvimento e viabilização de projetos diferenciados criados pelas agências de publicidade e pelas redações.

Bibliografia de referência:

Livros

ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho.6.ed. São Paulo: Boitempo, 2002.

ANTUNES, Ricardo; BRAGA, Ruy. Infoproletários. Degradação real do trabalho virtual. São Paulo: Boitempo, 2009.

BACCEGA, Maria A. Palavra e discurso: História e literatura. São Paulo: Ática, 1995.

BAKHTIN, Mikhail (VOLOCHÍNOV). Marxismo e filosofia da linguagem. 14.ed. São Paulo: Hucitec, 2010.

BOLTANSKI, Luc; CHIAPELLO, Ève. O Novo Espírito do Capitalismo. São Paulo: Martins Fontes, 2009.

BOUTET, Josiane. La vie verbale au travail. Des manufactures aux centres d’appels. Toulouse: Éditions Octarès, 2008.

BRANDÃO, Helena H. Nagamine. Introdução à análise do discurso. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1991.

BRAVERMAN, Harry. Trabalho e capital monopolista. Rio de Janeiro: Zahar, 1987.

DANIELLOU, François. A ergonomia em busca de seus princípios: debates epistemológico. DANIELLOU, François (org.). Tradução por José Marçal Jackson Filho. São Paulo: Edgard Blucher. Cap. 7. 2004.

DESMAREZ, Pierre. La sociologie industrielle aux États-Unis. Paris: Armand Colin, 1986.

EAGLETON, Terry. Marx estava certo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2012.

ESCOSTEGUY, Ana C.; JACKS, Nilda. Comunicação & recepção. São Paulo: Hacker, 2005.

FÍGARO, Roseli. Comunicação e Trabalho Estudo de Recepção: O mundo do trabalho como mediação da comunicação. São Paulo: A. Garibaldi, 2001.

FÍGARO, Roseli (org). Gestão da Comunicação: no mundo do trabalho, educação, terceiro setor e cooperativismo. São Paulo: Atlas, 2005.

FÍGARO, Roseli. Relações de Comunicação no mundo do trabalho. São Paulo: Anna Blume, 2008.

FÍGARO, Roseli. Um passeio pelo bosque da filosofia: Yves Schwartz, um pensador da atividade humana, sempre inédita e regida por valoresRevista Comunicação e Educação. São Paulo, Ano XIII – Edição n.2 – mai/ago 2008

FIGARO, Roseli. Perfil sociocultural dos comunicadores: conhecendo quem produz a informação publicitária. In: CASAQUI; LIMA e RIGUEL. Trabalho em publicidade e propaganda: História, Formação Profissional, Comunicação e Imaginário. São Paulo: Atlas, 2011

FIGARO, Roseli (org.) NONATO, Cláudia. e GROHMANN, Rafael. As mudanças no mundo do trabalho do jornalista. São Paulo: Atlas/Salta, 2013.

FLORIS, Bernard. La communication managériale. La modernisation symbolique des entreprises. Grenoble: Press Universitaires de Grenoble, 1996.

GRAMSCI, Antonio. Americanismo e fordismo. São Paulo: Hedra, 2008.

HELLER, Agnes, O cotidiano e a história. Trad. Carlos Nelson Coutinho e Leandro Konder. 3ª edição. São Paulo: Paz e Terra, 1989.

HOGGART, Richard. As Utilizações da Cultura: aspectos da vida cultural da classe trabalhadora – vol. I. Lisboa: Ed. Presença, 1973.

LEONTIEV, Alexis. O desenvolvimento do psiquismo. Trad. Rubens Eduardo Frias. São Paulo: Centauro, 2004.

LINHART, Danièle. A desmedida do capital. São Paulo: Boitempo, 2007.

MARX, K, ENGELS,F. A ideologia alemã. São Paulo; Boitempo, 2007.

MORETZSOHN, Sylvia . “’Profissionalismo’ e ‘objetividade’: o jornalismo na contramão da política”. In: IX Compós, 2000. IX Compós, 2000.

OLIVESI, Stéphane. La communication au travail. Une critique des nouvelles formes de pouvoir dans les entreprises. 2. ed. Grenoble: Press Universitaires de Grenoble, 2006.

ORLANDI, Eni. “Michel Pêcheux e a Análise de Discurso”. Estudos da Língua(gem). Vitória da Conquista, n. 1, p. 9-13, junho de 2005.

PICCIARELLI, S. As relações de comunicação no processo de produção da Gráfica Abril: inovações, criatividade e reconhecimento do uso de si na atividade de comunicação e de trabalho. 2009. 250 f. Dissertação (Mestrado) – Escola de Comunicação e Artes, Universidade de São Paulo, 2009.

PINTO, Geraldo Augusto. A organização do trabalho no século 20: taylorismo, fordismo e toyotismo. São Paulo: Expressão Popular, 2010.

POCHMANN, Márcio. O Mito da Grande Classe Média: capitalismo e estrutura social. São Paulo: Boitempo, 2014.

PULITI, Paula. O juro da notícia. Florianópolis: Insular, 2013.

SCHWARTZ, Yves. Trabalho e uso de si. Revista Proposições. Faculdade de Educação, Unicamp, São Paulo, n. 32, 2000b.

SCHWARTZ,Y.,DURRIVE,L. Trabalho e ergologia. Niteroi: Eduff, 2007.

SEIFE, Charles. Os números (não) mentem – Como a matemática pode ser usada para enganar você. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

SOUSA, Mauro Wilton (org.). Sujeito, o lado oculto do receptor. São Paulo: ECA-USP/ Brasiliense, 1995.

SOUZA, Genilda A de. A conotação dos dados estatísticos pela mídia. São Paulo: Faculdade Cásper Líbero, 2009.

SOUZA-e-SILVA, Maria Cecília P; FAITA, Daniel (org.). Linguagem e trabalho. São Paulo: Cortez, 2002.

TAYLOR, Frederick W. Princípios da administração científica. São Paulo: Atlas, 1978.

THOMPSON, Edward Palmer. A Formação da Classe Operária Inglesa. Vol I. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

TRAGTENBERG, Maurício. Burocracia e ideologia. São Paulo: Editora Ática, 1980.

WEIL, Simone. A racionalização. In: BOSI, Ecléa (Org.). Simone Weil. A condição operária e outros estudos sobre a opressão. 2. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996. p. 135-175.

WINKIN, Ives. A nova comunicação: da teoria ao trabalho de campo. Campinas: Papirus Editora,1998.

WOLTON, Dominique. Informar Não é Comunicar. Porto Alegre: Sulina, 2010

Artigos

DANIELLOU, François. Le travail des prescriptions. In: Actes du 37ème Congrès de la SELF, “Les évolutions de la prescription” (Conférence inaugural), Aixen-Provence, 2002. Disponível em: < http://www.ergonomie-self.org/self2002/daniellou.pdf

BARROS, Janaina Visibeli. A comunicação social no embate das práticas de responsabilidade socioambiental. In: V ABRAPCORP, ANAIS DE CONGRESSO. São Paulo, 2011. http://www.abrapcorp.org.br/anais2011/trabalhos/trabalho_janaina.pdf

FIGARO, Roseli. Atividade de comunicação e de trabalho. Revista Trabalho, Educação, Saúde. Rio de Janeiro: Fiocruz, v. 6 n. 1, p. 107-145,mar./jun.2008. http://www.revista.epsjv.fiocruz.br/upload/revistas/r200.pdf

FÍGARO, Roseli; GROHMANN, Rafael. O Conceito de Classe Social nos Estudos de Recepção Brasileiros. In: XXI Encontro Encontro da Compós 2013 – Salvador/BA. Anais da Compós 2013, 2013.

FÍGARO, Roseli; GROHMANN, Rafael. Lutas de Classes e os ‘Rolezinhos’: uma abordagem na perspectiva dos estudos de recepção In: XXI Encontro Encontro da Compós 2014 – Belém/PA. Anais da Compós 2014, 2014.

GROHMANN, Rafael. O Trabalho do Jornalista como Sintoma da Lógica dos Conglomerados. Revista Alterjor. V. 02, n. 08, jul/dez. 2013, p. 1-15.

HESMONDHALGH, David. “Conteúdo gerado pelo usuário, ‘trabalho livre’ e as indústrias culturais’”. Revista Eptic. São Paulo, vol. 17, nº 1, janeiro-abril 2015.

LIMA, Venício A. de. O silêncio como forma de censura. Publicado no Observatório da Imprensa em 22/03/2011. Disponível em http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/o-silencio-como-forma-de-censura Acesso em 15/02/2015.

MURDOCK, Graham. Comunicação Contemporânea e Questões de Classe. Matrizes. Ano 2, n. 2, p. 31-56, 2009.

NONATO, Claudia. Blogs, colaborativismo e crowdfunding: novos arranjos para o livre exercício do jornalismo e a prática da cidadania. Trabalho apresentado no XIV Congresso Internacional IBERCOM, na Universidade de São Paulo, São Paulo, de 29 de março a 02 de abril de 2015. Disponível em http://www.assibercom.org/congressoibercom2015/

NONATO, Cláudia. Do Impresso aos blogs: a busca de jornalistas pela liberdade de expressão em novos métodos e processos produtivos. Anais do XXXIV Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2 a 6 de setembro: quem tem medo de pesquisa empírica? Disponível em http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2011/resumos/R6-0784-1.pdf

REBECHI, Claudia Nociolini; FIGARO, Roseli. A comunicação no mundo do trabalho e a comunicação da organização: duas dimensões distintas. ANIMUS: Revista Interamericana de Comunicação Midiática, São Paulo, v. 12, n. 24, p. 1-23, 2013. Disponível em:  http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/animus .

REVISTA Eptic. Dossiê temático – Trabalho comunicacional: aspectos de comunicação e trabalho como atividade humana e como mercadoria. São Paulo, vol. 17, n.1, jan./abril, 2015. http://www.seer.ufs.br/index.php/eptic/issue/current.

Teses e dissertações

BARROS, Janaina Visibeli. A comunicação no embate entre empresa e comunidades: análise crítica dos discursos de trabalhadores e população sobre as práticas comunicativas de responsabilidade socioambiental das organizações. São Paulo: Universidade de São Paulo, 2010. Dissertação. In: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/27/27152/tde-08072010-220123/

GROHMANN, Rafael. Os Discursos dos Jornalistas Freelancers Sobre o Trabalho: comunicação, mediações e recepção. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012. Orientador: Roseli Aparecida Fígaro Paulino

LIMA, Cláudia do Carmo Nonato. Comunicação e mundo do trabalho do jornalista: o perfil dos jornalistas de São Paulo a partir da reconfiguração dos processos produtivos da informação. São Paulo, 2010. 313 p.: il. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, 2010.

LIMA, Cláudia do Carmo Nonato. Jornalistas, blogueiros, migrantes da comunicação: em busca de novos arranjos econômicos para o trabalho jornalístico com maior autonomia e liberdade de expressão. 2015.250 f. Tese (Doutorado em Ciências da Comunicação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, 2015.

REBECHI, Claudia Nociolini. Comunicação nas relações de trabalho: análise crítica de vozes da comunicação organizacional no Brasil. 2009. 145 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Comunicação) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

REBECHI, Claudia Nociolini. Prescrições de comunicação e racionalização do trabalho: os ditames de relações públicas em diálogo com o discurso do IDORT (anos 1930-1960). 2014, 351 f. Tese [Doutorado em Comunicação]. Escola de Comunicações e Artes – Universidade de São Paulo, São Paulo, Brasil, 2014.

 

 

Palestra:os sentidos do empreendedorismo e dos novos arranjos econômicos na era da precarização do trabalho

Convite Encontro CPCT