Palestra:os sentidos do empreendedorismo e dos novos arranjos econômicos na era da precarização do trabalho

Convite Encontro CPCT

Entrevista de Roseli Figaro no programa Diversidade em Ciência (Rádio USP-FM)

A coordenadora do CPCT e professora livre-docente do Departamento de Comunicações e Artes da ECA-USP, concedeu entrevista ao programa Diversidade em Ciência, e falou sobre as pesquisas do CPCT, o mundo do trabalho e as suas configurações na contemporaneidade.

O Diversidade em Ciência é um programa de entrevista, que aborda questões sociais, étnicas, de gênero e orientações sexuais e vai ao ar na Rádio USP-FM (93,7 MHz ou www.radio.usp.br ) toda segunda-feira, às 13 horas com reapresentações aos sábados, às 14 horas. A principal característica do programa é dar ênfase nos grupos e temas das diversidades étnico-sociais. Para isso, o programa tem como slogan “Discriminação é falta de conhecimento”. O formato é de 60 minutos, permeado por música, escolhida pelo entrevistado que pode ter relação direta com o tema ou seu gosto pessoal. A produção e apresentação é de Ricardo Alexino Ferreira e operação de áudio de João Megale.

A entrevista, dividida em três partes, pode ser ouvida aqui:

É possível sobreviver no jornalismo independente?(*)

Por Cláudia Nonato (**), especial para o Jornalistas Livres

Em época de crise profissional, corte de equipes e passaralhos, como o jornalista está fazendo para sobreviver? Qual a saída para praticar um jornalismo ético, autônomo, desvinculado do poder hegemônico das empresas de comunicação? Essas foram algumas das questões que me levaram a pesquisar e escrever tese de doutorado Jornalistas, blogueiros, migrantes da comunicação: em busca de novos arranjos econômicos para o trabalho jornalístico com maior autonomia e liberdade de expressão, que defendi em abril na ECA/USP.

A pesquisa demonstra que os jornalistas adotaram os blogs em busca de independência, tanto ideológica, quanto financeira. Os pioneiros foram os jornalistas experientes, que há dez anos levaram a credibilidade e visibilidade conquistadas em outros meios (impressos, rádio e televisão) para a blogosfera e para as redes sociais. Eles abriram caminho para jovens que hoje iniciam no jornalismo (e se mantém) por meio dos blogs e redes sociais.

Alternativas como o colaborativismo, que permite a produção coletiva de reportagens, e o crowdfunding, ou financiamento coletivo, utilizado para arrecadar dinheiro pela internet, surgem como novas apostas, baseadas num modelo de jornalismo sem fins lucrativos, voltado para a independência. Esses modelos, que chamei de “arranjos econômicos” não são novos; são inspirados no cooperativismo e no jornalismo alternativo, que foram adaptados à sociedade em rede e (re) apropriados pelos jornalistas. Mas servem para demonstrar o quanto é fértil a busca por alternativas nesse momento, de surgimento de novos meios e, ao mesmo tempo, de crise na profissão.

Embora tenhamos no Brasil os principais meios de comunicação dominados por uma mídia hegemônica, tal fato demonstra que é possível romper barreiras e fazer um jornalismo comprometido com a verdade e a imparcialidade da notícia.

E diante de todas essas constatações, torna-se evidente a necessidade de termos uma maior pluralidade da mídia, que só será alcançada com a democratização dos meios de comunicação. Desse modo, haverá oportunidades a novos veículos, favorecendo rádios, tevês comunitárias, jornais alternativos, o que ampliará as opções de informação, e criará diversas visões e opiniões no espaço público.

A tese completa está disponível aqui

(*) Reproduzido do Site Jornalistas Livres

(**) Cláudia Nonato é jornalista, Doutora em Ciências da Comunicação pela ECA/USP e pesquisadora do CPCT

Pierre Trinquet é Notícia na ECA

O professor francês Pierre Trinquet,  pesquisador do Instituto de Ergologia da Universidade Aix-Marseille esteve na ECA-USP no dia 22 de junho, apresentando a palestra  Entender o trabalho humano para pensar a saúde e a comunicação. Antes do evento, o pessoal do LAC – Laboratório Agência de Comunicação – e da ECA TV gravou um depoimento do professor sobre a Ergologia:

Palestra “Entender o trabalho humano para pensar a saúde e a comunicação”

Cartaz CPCTPierre2015

Debate Comunicação e Trabalho: a relevância do mundo do trabalho no atual quadro de transformações sociais

Divulgação CPCT

No próximo dia 17 de junho, o Centro de Estudos de Mídia Alternativa Barão de Itararé SP realizará amplo debate sobre comunicação e o mundo do trabalho. Como convidados, os pesquisadores, Roseli Fígaro, professora da Escola de Comunicação da Universidade de São Paulo (ECA/USP); César Bolaño, professor de Economia da Universidade Federal de Sergipe (DEE/UFS); e Paulo Zocchi, presidente do Sindicato dos Jornalistas de São Paulo.

A proposta, que nasce da parceria do Barão de Itararé com os grupos de pesquisa Observatório de Economia e Comunicação (OBSCOM – UFS) e o Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho (CPCT), tem como objetivo refletir sobre o mundo do trabalho e sua relação com a comunicação, especialmente, com os impactos das chamadas novas tecnologias.

A atividade ocorrerá no auditório do Barão de Itararé, localizado na Rua Rego Freitas, 454, 8a andar – República/SP. A entrada é franca e livre de inscrição.

Mais informações: (11) 3159-1585 ou (11) 984429245

Pierre Trinquet Discute Situações de Trabalho na ECA/USP


Pierre Trinquet 
O Centro de Pesquisa em Comunicação e Trabalho promoverá, no dia 22 de junho (segunda-feira), uma palestra com o Prof. Pierre TrinquetDoutor em  Ergologia – estudo da atividades e situações de trabalho – e pesquisador do Instituto de Ergologia da Universidade Aix-Marseille, França.  Durante a palestra, intitulada “Entender o trabalho humano para pensar a saúde e a comunicação”, Trinquet falará sobre as pesquisas e as metodologias de análise de situações de trabalho. Será a partir das 15 horas, na sala de defesas do  Departamento de Comunicações e Artes da ECA-USP. As inscrições são gratuitas (30 vagas), por meio do site  comunicaçãoetrabalho@gmail.com